sábado, 8 de dezembro de 2012

PSICOLOGIA CRISTÃ? O QUE TEM A CIÊNCIA COM A FÉ?


Recentemente, em busca online por conhecimento da área de Psicologia, deparei-me com um artigo intitulado “Psicologia Cristã”. Quando bati o olho, a primeira coisa que me remeteu a mente, foi que era da autoria de um padre que estudou Psicologia. Mas para o meu espanto, não. Não era de nenhum líder religioso, porém de uma pessoa que, afirmando ser Psicóloga, utiliza-se de uma suposta abordagem denominada Psicologia cristã.
Estarrecida, fui pesquisar sobre o que vinha a ser essa nova “abordagem” de Psicologia e me deparei com a informação de que não é nenhuma vertente da área, como o nome havia sugerido. É simplesmente uma autoajuda pautada nos estudos bíblicos, ou seja, não tem nada a ver com ciência, a não ser o fato de a autora ter conseguido um diploma em Psicologia. Será que daqui um tempo vão criar também a engenharia cristã, a odontologia cristã, química cristã e demais áreas?
Não poderia deixar de ficar indignada e expressar minha razão diante da postura de tal profissional, totalmente sem ética e respeito para com sua profissão. Logo descobri que ela já foi advertida pelo Conselho Federal de Psicologia e, se continuar ludibriando as pessoas, perderá seu direito de exercer a profissão (nada mais sensato do que isso).
Esse negócio de "Psicologia Cristã" simplesmente não existe, nunca existiu e nunca existirá! Bem como não existe Psicologia Espírita, nem Psicologia Umbandista, nem Psicologia Hare krishna, nem Psicologia Budista, nem Psicologia Satânica e nenhum outro tipo de Psicologia religiosa. Ciência é ciência, fé é fé!
Devo deixar evidenciando que eu, particularmente, sou cristã, mas discordo absolutamente deste omelete de ciência com religião. Posso ser Psicóloga e manifestar a fé cristã, mas nunca ser "Psicóloga cristã".Não há nenhuma ligação científica entre minha profissão com minha religiosidade. É um ato de má-fé unir as duas para se promover.
O mais indignante é que esta dita “Psicóloga” ainda cobra como uma sessão de psicoterapia por seus “trabalhos”, e algumas pessoas pouco instruídas pagam (sabe lá com que esforço) os honorários. O padre cobra por tempo te escutando e aconselhando? E o pastor? E a freira? E os obreiros? E os monges? Nenhum trabalho religioso é cobrado! Este negócio de Psicologia cristã é uma técnica (e muito esperta por sinal) para arrancar dinheiro de pessoas, que estão necessitando de verdadeira ajuda Psicoterapêutica, aproveitando-se de sua fé.
Cada profissional tem sim todo o direito de ter a crença que quiser. Somos, acima de Psicólogos, seres humanos com nossas preferências, nossos credos, apenas devemos ter cautela para não misturá-las em nossa atuação profissional, pois é de imensa falta de ética para com nossos pacientes.
Se a pessoa precisa de uma palavra do bem, um conselho, uma orientação, uma palavra de conforto deve procurar seu líder espiritual. Entretanto, se necessita um cuidado de saúde, tem uma problemática física, psíquica, mental, emocional que precisa ser curada ou tratada ai é com os profissionais de saúde. Cristianismo é com o padre ou pastor. Psicologia é com Psicólogo. Ambos respeitáveis, porém absolutamente diferentes!
Psicóloga Katree Zuanazzi
CRP 08/17070
Publicado no Jornal de Notícias "A Folha de Saltinho" dia 10-11-2012
Pode ser reproduzido citando a fonte e a autora. (Lei 9.610/1998)

Nenhum comentário:

Postar um comentário