sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

BULIMIA


Bulimia é um transtorno alimentar causado pela ingestão de alimentos em demasia, seguida pela eliminação destes pelas mais diversas formas. Tipicamente o individuo está dentro do padrão considerado normal de peso, mas ainda assim encontra-se insatisfeito em relação ao próprio corpo. Mesmo sendo uma patologia que tem entre as causas a predisposição genética, não há como negar que a mola propulsora para o desencadeamento da mesma seja e a forte pressão social pela busca de um corpo perfeito que, na sociedade contemporânea, é mensurado pela magreza. Há tempos a magreza tem sido eleita como símbolo de sucesso e beleza, mas onde fica a saúde nisto tudo?
A pessoa acometida por Bulimia manifesta um intenso medo de ganhar peso, já que existe uma distorção na imagem de seu próprio corpo. Concomitante a apresentar compulsão por comer em curtos períodos uma quantidade excessiva de alimentos, utilizam-se de métodos agressivos para evitar engordar, causando indução de vômitos, fazendo uso de remédios como laxantes e diuréticos, bem como exagerarem na prática de exercícios físicos.
A autoindução de vômitos é um dos critérios mais importantes no diagnóstico da Bulimia. Pode ser provocado por inúmeras formas como a mão do sujeito ou até mesmo com a indução de objetos na garganta para incitar a ânsia. Geralmente estas práticas são feitas sigilosamente. Para o Doutor Dráuzio Varella após a ingestão exacerbada de alimentos o individuo sente-se culpado e então adere a métodos compensatórios que não são adequados.
Um dos pontos fundamentais a ser percebido no sujeito bulímico é a baixa autoestima. Elegendo padrões muito elevados em relação à beleza, que obviamente são inatingíveis, o sujeito fica na expectativa de conseguir alcançar este padrão de perfeição, que ele mesmo estipulou, e se frustra porque é uma imagem fictícia. Por não conseguir nunca atingir o que considera como ideal, entra em um nível muito elevado de angústia que só aumenta sua insegurança e desprezo por si mesmo. Esse fracasso o faz retornar compulsão pela comida e ai o ciclo se repete: Comer muito, se arrepender e extirpar o alimento do corpo.
Frisando que o bulímico não é obeso, não tem gordura anormal para seu tamanho e idade, apenas pensa que deveria ser mais magro e luta pra isso. Os sintomas não são muito evidenciados, por isso o diagnóstico é mais dificultoso. Algumas características podem ser consideradas como ter a boca seca, desidratação, vasos rompidos nos olhos, constipação, gengivite, desgaste dentário devido ao demasiado contato com o suco gástrico, cáries, inflamação na garganta. Alguns sintomas depressivos, de ansiedade, de automutilação podem ser encontrados juntamente, já que o transtorno acomete o emocional do sujeito. Por isso ocasionalmente o tratamento pode ser aliado ao uso de antidepressivos.
Para a bulimia em si não são utilizados fármacos, o tratamento é nutricional e também pautado em psicoterapia individual, familiar ou grupal. Se não tratado pode evoluir para uma anorexia.
Psicóloga Katree Zuanazzi
CRP 08\17070
Publicado no Jornal de Notícias "A Folha de Saltinho" dia 08-09-2012
Pode ser reproduzido citando a fonte e a autora. (Lei 9.610/1998)

Nenhum comentário:

Postar um comentário