segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

ADULTO-JOVEM: O CONQUISTAR DA MATURIDADE


A maturidade é um período do desenvolvimento que começa a ser estabelecida por volta da segunda década da vida, a pessoa deixa a adolescência para entrar na idade adulta. É uma etapa de conquistas para o adulto-jovem, que se inicia quando o indivíduo se convence de que já tem uma identidade formada, quando é capaz de viver intimamente com uma pessoa e se define enquanto profissional.
É no começo da idade adulta que a pessoa, por já ter se estabelecido enquanto sujeito existente, busca o desenvolvimento nas dimensões física, psíquica, social, profissional, religiosa entre outras. Buscando alcançar maturidade suficientemente adulta, estabilidade no plano de vida e o grau máximo de desenvolvimento de sua potencialidades.
O caminho percorrido para se chegar à maturidade é permeado por aquisições, perdas e modificações, permitindo assim ao sujeito adquirir equilíbrio em sua personalidade. Esta estabilidade parte tanto das características físicas e fisiológicas, das psicológicas e também da estabilidade comportamental através da expressão desta personalidade.
A grande modificação que acontece e dá consistência a esta etapa da vida está no campo da afetividade. O adulto tem clareza sobre o que gosta ou não e sabe se posicionar quanto a isso, mediante situações desagradáveis tem capacidade de sublimação, consegue disfarçar a raiva, escolher por si só e fazer planejamentos em longo prazo, ou seja, tem inteligência emocional.
O adulto jovem vivencia uma fase em que se tem maior liberdade do que qualquer outra etapa da vida, por estar no início da construção dela. Há uma apropriação da condição de ser livre, se sentem mais seguros e capazes de escolher e mudar de ideia caso desejem, pelo fato de estarem começando a projetar seu futuro e concomitante não terem nada definido. É o período de potencial máximo em quase todas as áreas do existir, tanto os aspectos físicos e intelectuais estão no auge do desempenho.
Se por um lado esta liberdade promove uma sensação boa de onipotência, implica em angústia juntamente, pois o adulto jovem se depara pela primeira vez com a responsabilidade plena por seu futuro e, por isso, se sente muito inseguro e preocupado em fazer a “coisa certa”. Deixa a condição de ter alguém (os pais ou responsáveis) que dita suas possibilidades, como ocorre na infância e adolescência, e se vê como o próprio direcionador de sua vida, se tornando assim o único culpado por seus erros e acertos.
A maturidade na vida do indivíduo é caracterizada principalmente pelas escolhas obtidas, o que também vai significar renúncias. Assim, são essas decisões que vão nortear quem o indivíduo é, a partir de uma formação mais madura de sua subjetividade. Como disse Augusto Cury “Uma pessoa imatura pensa que todas as suas escolhas geram ganhos. Uma pessoa madura sabe que todas as escolhas tem perdas”.
Psicóloga Katree Zuanazzi
CRP 08\17070

Publicado no Jornal de Notícias "A Folha de Saltinho" dia31-12-2011
Pode ser reproduzido citando a fonte e a autora. (Lei 9.610/1998)

Nenhum comentário:

Postar um comentário