sábado, 8 de dezembro de 2012

A ARTE DE RELACIONAR-SE


O relacionamento interpessoal faz referência a todo e qualquer processo que envolva interação humana. Dá-se por via de influência recíproca entre um sujeito e outro, independente de sua forma de manifestação ser comportamental, verbal ou não verbal, pois até mesmo as projeções de pensamentos ou simples reações físicas deixarão implícito algum conteúdo.
O ato de relacionar-se implica em muita complexidade por ser contínuo, sempre estamos influindo pessoas e sendo influídos por elas. A conexão entre seres é uma via de vai e volta, assim como damos, recebemos concomitante.
Dentro de casa, nas religiões, nos estudos, no trabalho, na política, no lazer e até mesmo nos demais interesses, mesmo que pessoais, temos a interação, somos condenados a viver agrupados. Seja em grupos propriamente dito ou equipes, é uma necessidade, precisamos do outro para nos construir e colocarmos em prática os projetos que elaboramos.
      Não é raro o fato de o ambiente de trabalho ser por nós mais tempo frequentado do que nosso círculo familiar. Passamos demasiado tempo do nosso dia no circuito profissional onde maior parte dos relacionamentos interpessoais eclode e, juntamente, os conflitos.
Toda e qualquer interação entre pessoas não escapa da eventualidade de conflitos, sejam eles simples ou de maior complexidade, não há como evitá-los, já que cada pessoa é única e tem seu jeito singular de pensar e agir.  Os conflitos têm também seus pontos positivos, que é incentivar a mudança, inovar, incitar a reflexão, no entanto, sua marca principal é a da contenda. Digamos que conflito é um mal necessário para que qualquer coisa progrida, mas devem ser trabalhados para que não promovam resultados desagradáveis ou até mesmo o rompimento do vínculo, uma vez que a convivência é necessária.
            Para que relacionamentos interpessoais perdurem e sejam satisfatórios necessita que haja uma maneira adequada em sua condução nas mais variadas circunstâncias as quais venham a perpassar. Requer habilidades, são estas chamadas de competências interpessoais. Não é um dom ou uma característica inata, é sim um aprendizado na maneira de se projetar diante do outro.
          Tolerância, paciência, respeito, ceder eventualmente, dividir, valorizar o esforço alheio, se colocar no lugar do outro, não invadir o espaço dos colegas, não se apropriar de criações deles, tratar com cordialidade, compartilhar as próprias ideias, dar margem para que os outros também compartilhem as suas e principalmente saber se comunicar adequadamente é inestimável para um bom relacionamento interpessoal. E isso, ninguém nasce sabendo fazer.
Mesmo que você tenha dificuldade em manter um relacionamento assertivo com seus colegas no presente momento, saiba que isso não é estático. Estamos em constante mudança e o comportamento é aprendido. Você pode modificar sua maneira de agir para uma mais adequada. Isto será satisfatório tanto para você quanto para as equipes a que pertence.
Psicóloga Katree Zuanazzi
CRP 08/17070

Publicado no Jornal de Notícias "A Folha de Saltinho" dia 03-11-2012
Pode ser reproduzido citando a fonte e a autora. (Lei 9.610/1998)


Nenhum comentário:

Postar um comentário