segunda-feira, 26 de novembro de 2012

MOVIMENTOS SOCIAIS NA CONTEMPORANEIDADE



Movimentos sociais são descritos como grupos formados com algum objetivo em comum que visam à melhoria de questões sociais de interesse mútuo de seus constituintes, sendo assim uma reivindicação social. Tendo suas raízes nos movimentos históricos mais primitivos, todo o contexto de socialização é responsável pelos grandes progressos do homem, uma vez que, é através dos movimentos grupais que se criam condições mais benfeitoras no quesito qualidade de vida.
Na contemporaneidade a emergência de grupos tem crescido concomitante ao desenvolvimento populacional, tendo em vista que surgem cada vez mais novos interesses e ideias de aprimoramentos comunitários. Eles surgem como uma proposta de mudança e por isso podem ser considerados como ameaça às classes dominantes e com freqüência sofrem afronta e repressão.
Deve-se salientar que só existe um grupo quando há um objetivo em comum, a meta a ser atingida faz com que todos se dediquem em prol do que necessitam e geralmente quando se atingem os objetivos desejados os integrantes tendem a se desagrupar. Apenas é mantido enquanto se tem algo a ser alcançado.
Na sociedade brasileira atual, inúmeras pessoas têm seus direitos negligenciados constantemente, principalmente àquelas com menor poder aquisitivo ou com algum diferencial em relação à população em geral. Os movimentos sociais se posicionam então como uma forma de tentativa de libertação e luta contra a violação dos direitos de uma suposta minoria. Diz-se “suposta” pelo fato de que apesar de serem chamados de minoria estes grupos de pessoas não mais o são, pois tem atingido proporções gigantescas como é o caso dos movimentos sem terra e de tribos de adolescentes.
A formação dos grupos se dá através dos objetivos em comum e quanto maior o número de pessoas que lutam por um ideal, maior será o impacto do movimento na sociedade. Nem todos os grupos sociais visam apenas à garantia de direitos e inclusão social, alguns surgem como contracultura e tem uma postura a lutar em oposição aos grupos que querem liberdade social. Um exemplo disto é o caso dos skinheads em contestação aos homossexuais.
Os grupos sociais são de grande importância para a consolidação dos direitos populacionais, sem eles não haveria progresso. Lógico que alguns podem se apresentar de forma nociva já que além de exigirem seus direitos querem interferir no dos outros e, com isso, em vez de possibilitar desenvolvimento acarreta ainda mais contendas e dissabores no meio social.
É muito bonito ver a forma como um grupo se organiza sendo que demanda criatividade, empenho, trabalho, coragem para sua projeção e execução. Mais bonito ainda é quanto os objetivos visados pelo grupo não promove nenhum dano, não anula, não prejudica a integridade dos grupos circundantes.
Katree Zuanazzi

Artigo publicado no Jornal de Notícias impresso “A Folha de Saltinho” no dia 23-07-2011. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário