terça-feira, 27 de novembro de 2012

AFETOS: A QUE SE DESTINAM



Tem um ditado que se tornou bem popular, da autoria de Blaise Pacal que diz que “o coração tem razões que a própria razão desconhece”. Isto é repedido no senso comum sempre que se fala em questões de afetividade. Mas a que se referem estas razões desconhecidas pela própria razão?
O fato de o comportamento sofrer influência de fatores internos já é configurado cientificamente. São os afetos que proporcionam um colorido especial na vida das pessoas. Expressos nas volições, desejos, sonhos, fantasias, esperanças e principalmente nas ações, englobam desde pensamentos até comportamentos, ou seja, são eles que demonstram a condição de estar vivo no mundo. Derivando do latim “affectus”, a palavra afeto tem como significado atingir, abalar, afligir.
Toda a ação das pessoas é acompanhada de reações afetivas, aquilo que é sentido incita, norteia, direciona o coportar-se, abarcando as dimensões de prazer e desprazer em seus diferentes aspectos. Os afetos podem ser manifestos via emoções ou sentimentos.
A emoção é uma expressão afetiva imediatista, representada por manifestações intensas e breves em resposta a alguma eventualidade e é uma vivencia transitória. Palavra oriunda do latim “emovere” significa movimentar, agitar, animar. Toda emoção deixa explícito o afeto nela contido pela expressão corporal (choro, riso, susto, tremor, enfim, toda gesticulação). Quando se depara com emoções, ou até mesmo pelo fato de pensar em determinadas situações, já faz com que os músculos faciais se movimentem involuntariamente e demonstrem o afeto que aquilo representou.  A ira, a alegria, o êxtase, nojo, vergonha, desprezo, medo, atração física, são exemplos de emoções.
Já os sentimentos são antagonistas às emoções, são um estado relativamente estável como gratidão, lealdade, carinho, não produz excitações exacerbadas e com isto interferem menos nas ações imediatas. Correspondem aos afetos básicos de amor e o ódio. É uma ocorrência atenuada e durável, não são acompanhados de reações orgânicas explosivas como ocorre nas emoções. Vertendo do latim “sentimentum” designada como opinião, afeição, é algo privado que categoriza o tipo de energia psíquica que se emprega a cada objeto.  
A emoção é um sentimento precedente ao sentimento. Uma emoção de atração pode se tornar em um sentimento de amor, bem como uma emoção de raiva pode se transformar ódio. Emoções e sentimentos estão constantemente presentes na vida das pessoas, pois os estímulos externos são captados, percebidos a todo o momento.
Primeiramente uma situação é percebida e com isso há uma emoção emergente desta, juntamente com a emoção é feita uma avaliação do que é sentido e posteriormente esta emoção dá origem a um sentimento. O ditado do inicio faria mais sentido se fosse “a emoção tem razões que a própria razão desconhece”.
Katree Zuanazzi

Artigo publicado no Jornal de Notícias impresso “A Folha de Saltinho” no dia 10-09-2011. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário